A Divisa de Thomar

de Carlos Carvalheiro

Momentos da história de Tomar que influenciaram a História de Portugal. 

1 • Chão – 1158

O rei D. Afonso Henriques desloca-se a Tomar, a fim de participar numa cerimónia templária, dirigida por mestre Arnaldo da Rocha, que se prepara para passar o testemunho a Gualdim Pais. Aí se relata o acordo feito com o bispo de Lisboa com a troca de Santarém, prometida à Ordem dos Templários, por um esconso terreno nas cercanias de Ceras.

2 • Utopia – 1094

O futuro conde D. Henrique, prestes a tomar posse do Condado Portucalense, pelo seu casamento com D. Teresa, retorna à Borgonha para um encontro secreto com Hugo de Payens, o futuro primeiro grão-mestre da Ordem dos Templários e com o descendente dos Exilarcas, o judeu Yaha HaNassi, onde será verbalizado um projeto que mudará o mundo conhecido.

3 • Ocultum – 1280

Durante todo o séc. XIII, a Ordem dos Templários, sediada em Tomar, desenvolve a ciência necessária a uma aventura marítima de mar profundo. Mas todos os conceitos da antiga sabedoria seriam considerados heréticos para a ortodoxia católica. É indispensável manter o saber oculto.

4 • Extinção – 1307

O rei D. Dinis de Portugal e a rainha D. Isabel de Aragão apoiam um empreendimento marítimo que unificasse o mundo numa Idade do Espírito Santo, proposto pela Ordem dos Templários. No entanto, o papa Clemente V e o rei Filipe o Belo de França acusam a Ordem de heresia e decidem a sua extinção.

5 • Aljubarrota  – 1385

Num encontro em Tomar, Álvaro Pais dá conta do preparo do terreno em Aljubarrota pela Abadia de Alcobaça e Nuno Álvares Pereira dá conta do Conselho Real que abandonou em Abrantes. D. João I vem juntar-se a eles e é preciso convencê-lo a dar batalha a D. Juan de Castela.

6 • Infantes – 1438

O rei D. Duarte acaba de morrer em Tomar. O seu testamento designa a esposa, a rainha D. Leonor, como regente do Reino e tutora do infante de 5 anos e futuro rei D. Afonso V, daí a 9 anos. Mas o infante D. Pedro, duque de Coimbra, quer assumir a regência e precisa do apoio do irmão, o infante D. Henrique, governador da Ordem de Cristo.

7 • Rainha Velha – 1495

O rei D. João II foi envenenado. D. Beatriz, a governadora da Ordem de Cristo, a quem Gil Vicente chamava a Rainha Velha, desconfia que o responsável foi o seu filho, D. Manuel, prometido para herdeiro do trono. A confirmar-se o crime, tudo estaria perdido para a Casa de Bragança. Mas D. Manuel sofre de hybris…

Encerramento

O Milagre do Pão – 1314

Na sequência de uma resenha histórica sobre a utopia templária, enquanto esta se renova com a criação da Ordem de Crsito, a rainha Isabel de Aragão insiste em distribuir pão pelos necessitados, apesar da oposição do marido, o rei D. Dinis, que a confronta e exige ver o que ela esconde. Isabel mostra-lhe o tabuleiro de pão e flores que “fabricou” com Joane, o Parvo.

2024

Ano de estreia

2024

Ano da última apresentação

2

espetáculos

Igreja de Santa Maria do Olival; Igreja de S. Francisco; Casa dos Tectos; Igreja da Misericórdia; Jardim da Calça Perra; Igreja de S. João Baptista; Capela de Santa Iria; Horta dos Frades do Convento de Cristo